Cadeia de custódia de grãos aumentará competitividade brasileira

Published on
April 15, 2021

A Agroicone desenvolve, em parceria com o BEP, uma pesquisa para implementação da cadeia de custódia de grãos, com a capacidade de rastrear toda a cadeia produtiva, desde o campo até a usina, ainda que haja intermediários no caminho. Os resultados preliminares desse estudo foram apresentados ao mercado em março, em uma reunião do RenovaBio promovida pela Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que manifestou o interesse pela realização.

O objetivo desse trabalho é propor a estruturação de uma cadeia de custódia de grãos para implementação pelo RenovaBio. O estudo buscou fundamentação em normas como a ISO 22095, bem como experiências nacionais e internacionais e as pesquisas mais recentes no setor.

“Acreditamos que o aprimoramento da gestão da cadeia de custódia fortalecerá a política de biocombustíveis, tornando o RenovaBio mais moderno. É um projeto focado na transparência e confiabilidade das informações, necessário para aumentar a ambição do RenovaBio e seu reconhecimento internacional. Ele possibilita o fluxo de informação ao longo de cadeias de produção mais complexas. Isso possibilita maiores garantias que os produtos não estão associados a desmatamento, ao tempo que viabiliza uma maior adesão de produtores de biomassa de soja e milho ao programa. O que estamos desenvolvendo pode ainda servir de inspiração para outros mercados onde clientes, financiadores e reguladores são cada vez mais exigentes quanto aos aspectos ambientais”, acredita Marcelo Moreira, sócio da Agroicone e coordenador desse estudo.

O estudo também foi apresentado na 8ª Conferência UK & BR: Partners in Energy. As apresentações do webinar estão disponíveis no site do evento.

Assista webinar promovido pela Embaixada Britânica no Brasil.

Esta matéria foi originalmente publicada em Agroicone.